Entenda os malefícios de se sentar de maneira incorreta

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Alessandra Aoqui, Leticia Ferdinando e Thamires Fernandes, especial para Escola de Comunicação

Manter postura nos momentos de trabalho e estudo são essenciais para evitar dores (Arte: Alessandra Aoqui)

Entre tantas dicas e cuidados que precisamos ter diariamente com a saúde, como, por exemplo, exercitar-se com regularidade, hidratar-se diariamente e manter uma alimentação saudável, existe também outro ponto que afeta diretamente na qualidade de vida: a má postura.

Há vários motivos para se ter dores nas costas, o problema afeta grande parte da população mundial e não será apenas uma sessão de massagem que irá resolver o problema de vez. A solução vai além e exige, em muitos casos, mudança de hábito e consciência corporal.  

A má postura traz consequências não apenas estéticas, mas também pode causar problemas físicos que prejudicam a qualidade de vida. Manter uma postura errada pode afetar diferentes partes do corpo. Ainda que não causem problemas de imediato, é provável que a médio e longo prazo possam se pronunciar por meio de diferentes doenças.  

A fisioterapeuta Joyce Sales conta que por conta da pandemia as pessoas passaram a se queixar de ter mais problemas relacionados à coluna. “Grande parte se deve ao fato de que muitas pessoas pararam de realizar atividade física regular e acabam passando mais tempo sentadas no sofá assistindo séries e filmes, adotando uma postura que não favorece a coluna”, afirma.

Dessa forma, ela explica que as principais técnicas e recursos utilizados em seus pacientes são: massagem relaxante, alongamentos, exercícios de estabilização segmentar e, em casos agudos, a aplicação de correntes elétricas de baixa intensidade.

Além disso, a fisioterapeuta diz que as principais reclamações são de dores na região lombar e dor/tensão na região de ombros e cervical. Joyce também dá dicas que podem ajudar na diminuição de dores. “A principal dica é: movimente-se! O nosso corpo não foi feito para permanecer longos períodos parado. E, é claro, procure ajuda profissional para melhorar o condicionamento da musculatura da sua coluna’’, pontua.

“Fazer mudanças no estilo de vida e manter-se o mais ativo possível ajuda muito no processo de melhoria das dores”, pontua Joyce (Foto: Cedida/Joyce Sales)

Quem sofre com dores

A estudante do 3º termo de Jornalismo Maria Eduarda Vasconcelos sofre com constantes dores nas costas e durante a quarentena esse problema piorou. Ela conta que passa cinco horas no estágio sentada em frente ao computador, além do tempo que dedica no decorrer do dia à realização de atividades da faculdade e às aulas remotas, o que agravou ainda mais o problema.

Postura incorreta, falta de alongamentos e de movimentos são alguns dos motivos que fazem com que essas dores e incômodos sejam proliferados. “Antes da pandemia eu já tinha dores, acredito que por falta de alongamento, movimentos e postura também. Mas agora sinto que elas pioraram muito”, relata Maria Eduarda.

Para tentar amenizar a dor e corrigir postura, a estudante optou pelo pilates e pela realização de alongamentos diários, o que permite uma melhora nos incômodos que sente. “Comecei o pilates para melhorar as dores e tem ajudado muito, elas vêm diminuindo, mas ainda acontecem com frequência”, destaca.

“Antes da pandemia eu já sofria dores, acredito que por falta de alongamento e postura também, mas elas pioraram bem mais durante esse período de quarentena”, destaca Maria (Foto: Cedida/Maria Eduarda Vasconcelos)

A jornalista Jennifer Morales, formada há uma ano pela Escola de Comunicação e Estratégias Digitais, conta que, desde que começou a pandemia, passou a sentir dores após começar home office, ficando quase 16h do dia sentada para estudar e trabalhar, sem sair de casa. 

Jennifer confessa que nunca se adaptou por completo à nova realidade. Para amenizar a situação, sempre coloca na cadeira uma colcha de cama para ficar mais macia e confortada.

Para não sentir dores frequentemente, a jornalista relata que é necessário, no mínimo, alongar o corpo uma vez por dia e ela tenta adotar este hábito ao acordar. “Faço, principalmente uma postura de Yoga que chama Balasana, pelo menos uns 30 segundos. Isso alivia o incômodo nas costas. Mas tem dias que as dores são tão fortes que chegam a literalmente travar o corpo”, confessa Jennifer. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.