Equipe produz jornal comunitário como peça prática de TCC

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

14/12/2017 às 17:03 – Atualizado em: 20/12/2017 às 13:45 
Bruna Leite

Júlia Aglio

O jornal Linha do Leite possui duas edições com 29 textos divididos em nove editorias

Na noite da última quarta-feira (13/12), o grupo formado pelos alunos Aline Rocha de Toledo, Ednéia Gabriela Pedroso Balotari, Everton Barbosa Soares, Jaqueline Rodrigues Galdino e Lucas Fernandes Silva Alves defenderam perante a banca o trabalho intitulado como “Projeto piloto para a implantação de um jornal comunitário nos distritos de Presidente Prudente”. A banca avaliadora foi formada pelos docentes Hómero Ferreira, Rogério do Amaral, a orientadora da equipe Fabiana Alves também estava presente.
 
O estudo desenvolvido pelos alunos teve como objetivo produzir um jornal comunitário para os distritos da cidade de Presidente Prudente. O grupo buscou referências em outros jornais para que pudessem criar o jornal Linha do Leite. A aluna Aline Rocha contou que os jornais nos quais se basearam foram o Cantareira, que pertence à cidade de São Paulo, e o Cidadão, que é distribuído no Rio de Janeiro.
 
Já Ednéia Pedroso explicou que os distritos para os quais desenvolveram os jornais foram: Montalvão, Floresta do Sul, Eneida e Ameliópolis. “Esses locais possuem em comum comércios pequenos, escolas, agências de correios. Possuem também os mesmos problemas, os mesmos anseios e carência de informação”, ressaltou.
 
O jornal produzido tem periodicidade mensal e foi feito em formato tabloide, com páginas coloridas, contendo nove editorias. O intuito dos estudantes era atingir os moradores dos distritos, portanto não fizeram distinção de sexo, religião ou idade. Na linha editorial optaram por se basear no Manual da Folha de S. Paulo, utilizando apenas como base a parte de texto e siglas. Já a identidade visual do jornal Linha do Leite foi feita pelo disigner Paulo Carneiro.
 
Para que conseguissem manter contato com os moradores envolvidos no projeto, a equipe criou grupos no WhatsApp, e-mail, Facebook e contato telefônico. Na fase de produção de conteúdo para abastecer o jornal, foram realizadas reuniões de pautas, orientando aos moradores sobre como deveriam produzir matérias. Logo após essa fase veio a etapa de correções das matérias produzidos, diagramação e distribuição do produto final. 
 
Considerações finais
 
A equipe de jornalistas foi aprovada com muitos elogios da banca. O professor Rogério do Amaral destacou a importância da escolha do veículo de comunicação, pois, segundo ele, nos dias atuais as pessoas estão muito voltadas para o ambiente online. O docente parabenizou o grupo pelo trabalho que realizaram.
 
Já Homéro Ferreira ressaltou a relevância da opção por desenvolver um trabalho voltado para o âmbito do jornalismo comunitário. “Eles atingiram o objetivo, proporcionaram para as pessoas dos distritos voz e vez, além ser um trabalho totalmente humanizado”.
 
Elisete Lemos Silva é cunhada da agora jornalista Ednéia Pedroso. Elisete conta que assistir a apresentação foi algo muito gratificante. “Eu achei que o trabalho deles ficou muito interessante, realmente maravilhoso, eu acompanhei a jornada dela durante os quatro anos de faculdade, tiveram muitos obstáculo, mas no final deu tudo certo”.
 
Segundo Ednéia, o intuito era propiciar aos moradores dos quatro distritos a oportunidade de terem suas vozes ouvidas. “Foi incrível, conseguidos satisfazer as vontades deles por meio do jornal, e eu estou sonhando ainda, mas agora já sou jornalista”, disse.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.