Estudante de Jornalismo cria oficina de fotografia para enaltecer o movimento feminino negro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Racismo e bem-estar da mulher negra são os principais assuntos discutidos na oficina (Foto: Sidnéia Lins)

Mariane Pracânica, especial para o Portal Facopp
Colaborou: Sidnéia Lins

Com o objetivo de exaltar a beleza e autoestima da mulher negra, a facoppiana Beatriz Duarte criou uma oficina de fotografia totalmente voltada para as meninas afro-brasileiras. Nessas aulas estão sendo tratadas questões de autoestima e de como a mulher negra é representada na mídia, no intuito de levar referências e ampliar a visão de mundo dessas mulheres de forma prática.

O projeto “Oficina de Fotografia Pérolas Negras” surgiu a partir de uma proposta de trabalho da professora Thaisa Bacco na disciplina de Comunicação e Educação, onde os alunos deveriam aplicar o conteúdo aprendido em sala de aula para a comunidade e poderiam trabalhar temas livres no qual se identificassem.

Cada participante contou sua experiência com racismo (Foto: Sidnéia Lins)

Foi então que Beatriz decidiu falar com mulheres como ela, que enfrentam as mesmas situações que a jovem enfrenta no dia a dia, debatendo o racismo e o empoderamento feminino negro. “A mulher negra cresce numa sociedade que diz a todo tempo que ela não é boa o suficiente, que não é válida o suficiente e, por isso, não tem a autoestima fortalecida. Ela demora muito mais para desenvolver esse quesito na vida do que uma mulher branca.”

No primeiro encontro, que ocorreu na terça-feira (22/11), a estudante apresentou conteúdo teórico abordando a conscientização sobre o racismo. Para isso, ela usou como referências pessoas que estudam e defendem o assunto como as influenciadoras digitais Nataly Néri, Gabi de Pretas e Luci Gonçalves. Também mostrou exemplos de mulheres empoderadas como a cantora Iza, as atrizes Taís Araújo e Viola Davis e a ex-primeira dama dos Estados Unidos, Michele Obama.

Nos próximos encontros, as participantes vão aprender técnicas básicas de fotografia e linguagem fotográfica. Ao final da oficina será produzido um ensaio com cada uma delas, onde aplicarão as técnicas aprendidas fotografando umas às outras. As fotos farão parte de uma exposição criada pelo próprio projeto com o título “Nuances – A Descoberta do Eu”.  

Beatriz encorajou cada participante a se amar e se aceitar como realmente são (Foto: Sidnéia Lins)

Segundo Beatriz, o trabalho desenvolvido com as participantes tem o intuito de mostrar que elas podem contar a verdade de cada uma por meio da fotografia.” “Quero fazer com que todas saiam de lá entendendo que tudo bem serem elas, que tudo bem serem quem quiserem ser. De cabelo cacheado, de cabelo crespo, de cabelo liso, de qualquer forma. E entender que as imagens que passam nas redes sociais e em qualquer lugar da vida, dizem muito sobre elas.”

Como a estudante não conhece muitas pessoas negras em Presidente Prudente, ela contou com a ajuda da professora Édima Matos, que é responsável pela parte de pesquisa e extensão do curso de Medicina da Unoeste e está envolvida em projetos de saúde da mulher afro-brasileira.

Uma das participantes alcançadas pelo convite da professora é a maquiadora Josiane Laleska dos Santos, que já realiza um trabalho com empoderamento feminino negro. Ela criou o “Grupo das Pretas” e faz um desfile de moda todos os anos com as meninas. Segundo Josiane, a oficina vai ajudá-la tanto com o conteúdo quanto com as técnicas de fotografia. “Cada dia estou procurando me aprofundar mais, mas o meu foco é empoderamento da mulher negra. A gente precisa do nosso espaço!”

A oficina trouxe a essência do empoderamento feminino negro (Foto: Mariane Pracânica)

Beatriz diz que sua expectativa é ao menos plantar uma semente no coração de cada integrante da oficina. “Eu espero que possa transformar nem que seja 1% o coraçãozinho de cada menina. Que elas possam se enxergar da melhor forma, na melhor versão e, se acontecer isso com uma menina que participou, pra mim já tá de bom tamanho!”

Para quem quiser participar do projeto ainda dá tempo. É só entrar em contato com a Beatriz pelo WhatsApp (14) 99803-7581. Os encontros acontecem toda terça-feira, as 19h30 no laboratório de fotografia da Facopp.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.