ExPP: primeira noite aborda temas como racismo, feminismo e LGBTQIA+

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

22/06/2021 às 13h21
Jady Alves

Sete trabalhos foram expostos e comentados na primeira noite de ExPP (Foto: Reprodução do YouTube)

A realização de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é complicada e requer empenho dos alunos. Agora adicione isso ao cenário pandêmico em que estamos inseridos. Tudo se multiplica. Entretanto, apesar das dificuldades, 21 trabalhos serão expostos na 6ª edição da Exposição de Projetos Publicidade e Propaganda (ExPP) 

Logo na primeira noite de exposição, sete trabalhos foram apresentados, explicados e comentados. Nos próximos parágrafos, vocês conhecerão os alunos e um pouco de suas produções. 

A evolução do audiovisual como ferramenta de empoderamento para a comunidade LGBTQIA+ 

O primeiro trabalho da noite foi realizado pelo pesquisador Lucas Alfredo e orientado pelo professor mestre Renato Pandur. O artigo científico explica a sigla LGBTQIA+, a história do audiovisual e cinema, o estereótipo, além representatividade vinda de pessoas públicas que são da comunidade. 

Ao final do trabalho, Lucas conclui que, ao longo dos tempos, o audiovisual se tornou uma ferramenta de informação e reeducação para a sociedade, principalmente em relação a questões sociais. 

“Eu também gostaria se propor uma reflexão: vocês acham que o audiovisual vai evoluir mais em relação a essa comunidade em meio as produções audiovisuais, inclusive aqui no Brasil?”, finaliza Lucas. 

O artigo foi comentado pelo jornalista Luís Fernando Manzoli que disse: “O seu trabalho é importante, Lucas, porque ele é o retrato de um momento. Ele é como se fosse uma peça de um grande quebra-cabeça que vai ser montado no futuro para mostrar que em 2020 e 2021, a gente ainda precisava ter um estudante, um aluno concluindo um curso, que fizesse um trabalho cientifico ressaltando que o público LGBTQIA+ tinha que ser representado artisticamente por outros produtores de conteúdo LGBTQIA+ e que ainda existia produções que reforçavam esse estereótipo”. 

Modelagens de processos de uma agência de comunicação digital: Easycom 

Este trabalho foi o segundo a ser exposto e contou com as orientandas Amanda Rodrigues, Beatriz Vitrio e Gabrielle Gutierrez, e orientador Matheus Monteiro. 

Easycom é uma proposta visual de uma plataforma com a gestão completa de atividades para agências digitais de comunicação. Sendo assim, o intuito é a ideação de um modelo de processos que categorize e descreva as atividades de uma agencia de comunicação com vistas a implementação de um gestor de processos que viabilize todas as atividades desse tipo de empreendimento e solucione sua demanda de processos. 

“Entendemos que esse segmento de mercado precisa inovar com seus clientes sem esquecer de olhar para seus próprios processos internos. Por isso, nosso trabalho foi em volta da inovação e processos”, comenta Amanda. 

O professor mestre, Diego Andreasi, apontou várias partes que chamaram sua atenção no trabalho, mas frisou uma em especial. “Gostei muito do fluxograma. Acho que ele deveria ser trabalhado em materiais educativos para que pessoas, como comentei, que não tenham o domínio da área da publicidade possam conhecer o fluxo de uma agência”. 

“Esse trabalho mostrou, de uma forma bem clara e coesa, qual a finalidade da comunicação em si da plataforma e também quais resultados ela busca em prol da agência”, finaliza o professor mestre João Lucas Amorim. 

Como o Magazine Luiza passou a inovar o futuro do varejo no Brasil 

O terceiro trabalho foi desenvolvido pelos pesquisadores Felipe Rodrigues Carnevale, Jade Sato, Marcos Vinicius Dourado e Sara dos Lailen, com orientação do professor especialista Dhiego da Silva Saraiva. 

Pata compreender as estratégias e os métodos colocados em prática pela marca Magazine Luiza, os pesquisadores estudaram a jornada da marca e analisaram o uso das estruturas de branding para alcançar destaque no segmento e ditar tendências no varejo brasileiro. 

“Ao decorre dos estudos, nós entendemos que o Magazine Luiza é uma gigante brasileiro, que no passado foi sinônimo de inovação e na atualidade segue inovando. O Magazine é a mudança e o aprimoramento do varejo no presente e no futuro”, encerra Sara. 

A professora mestra Renata Barbieri aconselha: “Esse trabalho está muito bacana. Muito bom mesmo. Vocês devem continuar essa pesquisa. Não terminem o curso e coloquem essa pesquisa na gaveta, será uma pena. Então sugiro que vocês deem continuidade a essa pesquisa”. 

O poder da comunicação nos negócios 

Este trabalho foi desenvolvido pelo aluno Jorge Alberto da Silva, sob supervisão e orientação do professor especialista Dhiego da Silva Saraiva. O presente estudo de caso é sobre o apresentador Silvio Santos. 

Durante o estudo, o pesquisador aponta a comunicação limitada de código restrito como um problema e, segundo ele, a solução é aprimorar a forma de como se comunicar e identificar as ferramentas e meios que possam potencializar a comunicação nos negócios. 

“Não basta apenas falar bem, é preciso observar toda forma de expressão e todo meio de comunicação para atingir o seu público-alvo. Ou seja, você identifica o seu target e sabe a maneira que vai falar com ele”, complementa Jorge. 

O professor Rickson Moscatelli aponta umas das maiores relevâncias do estudo: “A escolha do comunicador é um ponto muito importante também a ser citado. É uma proposta interessante e também apelativa, porque traz uma imagem que é extremamente relevante na comunicação brasileira e utiliza ela como um estudo de caso, trazendo a aplicabilidade da teoria através da vida de um homem, mostrando através dos resultados da vida desse homem, como uma comunicação assertiva traz o poder de fazer um vendedor ambulante receber até cinco salários mínimos e, posteriormente, se tornar o fundador e proprietário de uma das maiores emissoras nacionais”. 

A viralização da hashtag #BLACKOUTTUESDAY e a sua relação com a publicidade 

O quinto trabalho da noite foi realizado e apresentado pelo aluno Altemar Ribeiro e contou com a orientação da professora mestra Mariangela Fazano Amendola. 

O artigo discute a viralização da hashtag dentro da plataforma e ao mesmo tempo pensa a dimensão simbólica da publicidade e o desenvolvimento das ferramentas dessa rede. Além disso, também discute como essas ferramentas são posicionadas para manter algum mecanismo social sendo eles derivados de um racismo estrutural. 

“Chegada essa era de novas ferramentas de comunicação, tem uma imensidão de possibilidades para o mercado publicitário e o objetivo não são as manifestações, a hashtag ou a campanha publicitaria, mas a verificação da informação e do entendimento sobre ela e suas relações”, aponta Altemar. 

Para comentar o trabalho, foi convidado o redator publicitário Rafael Lucas. “Uma das coisas que eu mais gostei do trabalho é que ele reflete a minha jornada consumindo a internet. Então, muitos dos pontos colocados foram coisas que eu consegui e participar”. 

A representação do feminino na publicidade brasileira: análise e comparação das últimas três décadas 

Esse trabalho foi desenvolvido pela pesquisadora Bianca Oliveira e orientado pela professora mestra Mariangela Fazano Amendola. 

Realizado em formato de artigo cientifico, a proposta foi analisar e comparar a imagem da figura feminina na publicidade e propaganda brasileira durante as últimas três décadas. É feito um estudo, comparação e análise da ascensão dos termos como: empoderamento feminino e movimento feminista no Brasil dentro da publicidade. 

“Nossa principal função enquanto profissionais e propaganda é vender, mas isso não precisa significar que nós vendemos apenas produtos. Nós temos o poder de vender também ideias, ideologias, sentimentos. Tudo o que envolve feminino é monetizado, mas isso não significa que o mercado não possa trabalhar a fim de tornar natural a diversidade e o crescimento da mulher na sociedade como um todo”, finaliza a aluna. 

A professora doutora Veridianna Ferreira ressalta a relevância do trabalho: “É um trabalho muito importante. É uma questão muito importante a ser levantada. É um trabalho muito bem escrito, gostos de ler. Ele tem uma leitura agradável e de fácil compreensão, eu acho isso muito importante”. 

A relação do consumidor do século XXI com as estratégias de marketing social 

O último trabalho da noite foi um artigo científico escrito pelos alunos Guilherme Jozima e Rafaela Message, com orientação da professora mestra Fernanda de Oliveira. 

O estudo realizou uma contextualização acerca do comportamento do consumidor quanto a causas sociais e ecológicas com foco no século XXI. Além disso, analisou a relação do consumidor com estratégias de marketing social, marketing de causa e marketing verde. Por fim, como a mistura das situações citadas anteriormente pode gerar resultados positivos e negativos para as marcas. 

“O marketing social, o marketing verde e o marketing de causa são muito importantes para a imagem da empresa, para imagem institucional e para a relação que a empresa vai criar com o consumidor”, destaca Guilherme. 

Por fim, o professor Valdecir Cahoni comentou um dos pontos fortes do trabalho: “Eu acho que vocês tiveram muito senso na escolha do tema, porque vocês estão falando de estratégias do marketing social. Eu vejo nisso essa estratégia como forma de competitividade e isso é importantíssimo”. 

E aí? Gostaram dos trabalhos do primeiro dia de live? A exposição ainda não terminou, então você pode nos acompanhar hoje (22) e amanhã (23) por meio do canal no YouTube da TV Facopp Online, às 19h. Vale ressaltar que as lives ficarão salvas no canal e poderão ser acessadas a qualquer hora. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.