Facoppianas participam da final do Mais Bela Voz

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

25/09/2017 às 10:44 – Atualizado em: 25/09/2017 às 11:17 
Leandro Nogueira e Júnior França

Juliane Rigolo e Maria Júlia Mayer

O estilo Gospel e Pop Internacional fizeram parte do repertório de Nathália e Júlia na final

Com duas representantes da Facopp, Julia Aglio e Nathália Moura, a final do concurso “Mais Bela Voz”, promovido pela Unoeste, aconteceu na sexta-feira (22/09) no Teatro Cesar Cava, no campus I da universidade. A 10ª edição do evento contou com a participação de 28 candidatos, sendo três facoppianos: Julia, da Fotografia; Nathália, do Jornalismo; e Juliano Silva, da Publicidade e Propaganda.
 
As seletivas foram divididas entre os dias 20 e 21 de setembro, o corpo de jurados definiu sete finalistas em cada uma das etapas para buscar os cinco primeiros lugares no dia da grande decisão. Dentre os 14 participantes presentes na última etapa, Júlia apresentou “Toxic”, de Britney Spears, e Nathália, “Vamos Subir” da banda Novo Som.
 
Nathália, que já está habituada a cantar em eventos e na igreja, disse que mesmo tendo experiência em se apresentar sente o frio na barriga quando está em concursos. Esta é a segunda vez que ela participa do “Mais Bela Voz”. “Eu me espelho muito no Leonardo Gonçalves, cantor gospel, não por ele ser famoso, mas por ele ser humilde e em suas apresentações se preocupar em passar uma mensagem positiva ao público.”
 
Além de cantar, a facoppiana pratica piano, violão e bateria. Ela revela que o melhor de tudo é o retorno do público, “Acredito que o maior incentivo para cantarmos é ver as pessoas se emocionarem. Quando isso acontece é a sensação de dever cumprido de passar a mensagem”, destaca.
 
Mayara Moura, irmã de Nathália, conta que elas sempre estiveram envolvidas com música. “Nosso pai sempre colocava música para gente ouvir e cantava com a gente. É algo de família esse talento”.
 
Já para Júlia Aglio, o interesse pela música surgiu aos 13 anos, tendo a cantora Adele como sua inspiração. “Eu tentava acompanhar as músicas e minha família via que eu tinha potencial. Nisso eu passei a treinar e procurar meu próprio estilo musical, que é modular o pop internacional para uma versão mais lenta e acústica”, explica.
 
Com a família sempre junto em sua tomada de decisões, Júlia revela ainda não ter escolhido se vai seguir carreira na fotografia ou na música, mas que busca conhecimento sobre as duas e tenta conciliá-las. “Foi uma surpresa para nós quando descobrimos esse talento dela. Buscamos sempre apoiá-la naquilo que ela acha que é o melhor”, afirma Marcos Souza, pai de Júlia.

Sobre ter chegado à final, Júlia diz ter sido uma surpresa. “ Foi muito legal! Eu não esperava. Acho que superou minhas expectativas e mostrou que tenho que confiar mais em mim mesma”.
 
Os cinco ganhadores da 10º edição do evento foram: Taina Bezerra (1º lugar, estudante de Música), Maria Lopes (2º lugar, aluna de Farmácia), Mariana Bandeira (3º lugar, de Medicina), Mariana de Souza (4º, de Design de Interiores) e Giovani Souza Santos (5º, do curso de Psicologia).

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.