Fotógrafos se reinventam durante período de quarentena

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

01/06/2020 às 13:00
Mayson Martins e Milene Gimenez

Estudantes e profissionais estão realizando os ensaios fotográficos por meio de vídeos chamadas com modelos (Foto: Vinicius Ishibashi)

Muitos cenários de trabalhos precisaram se readequar com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), com os profissionais da fotografia não foi diferente. A atividade que exige o contato presencial com o cliente teve que tomar certas medidas de segurança e, a partir daí, surgiu uma ideia um tanto quanto inusitada: um ensaio virtual.

Essa tendência de fazer um ensaio fotográfico vem ganhando cada vez mais espaço durante a quarentena, mas será que é algo passageiro ou pode se tornar uma realidade e virar uma ferramenta profissional?

De acordo com Thomas Aguilera, fotógrafo há 17 anos e professor na Facopp, a maioria dos WebEnsaios não se trata de ensaios comerciais ou com algum fim lucrativo. “Os alunos convidam alguns modelos que gostam e combinam um ensaio online. Tenho visto bons resultados e acredito que além do olhar fotográfico e desenvoltura da modelo, os recursos atuais possibilitaram tal proposta, como a internet e a qualidade das câmeras dos smartphones.”

Ele acredita que alguns fotógrafos já começaram a cobrar pelo serviço, mesmo que seja um valor menor que o presencial. “Acho uma nova modalidade interessante e igual a moda: ela vem e logo passa. Mas como a moda às vezes vai e vem, pode ser uma novidade que fique. Se não tivermos mais a possibilidade do presencial pode ser uma alternativa, mas nada como o ensaio presencial com toda a produção direção e equipamentos. Ainda está longe de se comparar”, finaliza.

COMO FUNCIONA?

O ensaio consiste em uma chamada vídeo em que o cliente atende à ligação do fotógrafo e faz poses enquanto o profissional tira prints da tela. Fácil, né? Mas para o estudante do 3º termo de Fotografia, Vinicius Ishibashi, 19 anos, e adepto da nova onda, não é tão simples assim quanto parece.

“É meio cansativo, principalmente para a modelo, porque às vezes ela posiciona o celular, volta no lugar, faz a pose e talvez tem que voltar lá e reposicionar o celular várias vezes. Isso acaba cansando um pouco”, explica.

O estudante ainda deixa claro que o ensaio virtual não substitui um ensaio presencial por não ter qualidade de imagem e também ser um pouco difícil de lidar, criar e ter controle adequado. “Todos que eu fiz não foram remunerados, apenas para experiência mesmo, e também não pretendo cobrar por esse tipo de trabalho.”

MODELO COM PAPEL DE FOTÓGRAFO

Sobre o assunto, Mariana Menotti, ex facoppiana, formada em Jornalismo no ano de 2016, e modelo há 16 anos, conta como foi o primeiro ensaio virtual da carreira, realizado com Vinicius Ishibashi para testar a tendência. “Foi muito legal a experiência, foi bem diferente, só que é dificultoso para o modelo”.

“O modelo tem que fazer todo o papel, posicionar a câmera, arrumar o ambiente. Tinha que ficar na pose, ir lá arrumar o celular depois voltar na pose, levanta, senta, vai mais para o lado, pega o celular e coloca mais para baixo, coloca mais para cima”, explica a jornalista sobre o processo exaustivo.

A DISTÂNCIA NÃO É MAIS UM PROBLEMA

Para Isadora Crivelli, 19 anos, e também aluna do 3º termo de Fotografia, essa maneira de fotografar é uma nova experiência que realizou com uma amiga virtual de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

“Nunca tivemos contato pessoal, mas morríamos de vontade de nos conhecermos e fazer um ensaio. Além de eliminar todas as possibilidades de contaminação, é um método legal para fazer fotos de alguém que está a quilômetros de distância.”

Crivelli reforça a questão de não ser fácil realizar esse tipo de ensaio. “Eu tive que quebrar o preconceito de fazer um ensaio online, pois não teria como fazer a regulagem da entrada de luz, muito menos enquadramento”, explica a aluna de Fotografia.

Em relação ao primeiro ensaio, Isadora conta como foi o processo de três dias para realizar as fotos. “Fomos fazendo por etapas. Reservarmos um dia só para escolhermos o local e a questão de melhor iluminação, tudo isso por ligação de chamada de vídeo. No dia seguinte, discutimos como funcionaria e escolhemos o look e, depois, um dia só para fazer as fotos, com tudo organizado”.

WEBENSAIO: PONTOS POSITIVOS E NEGATIVOS ATRIBUÍDOS POR VINICIUS ISHIBASHI

Positivos:

  • A modelo acaba exercitando sobre alguns assuntos da fotografia: ângulos da câmera, luz e sombra.
  • O fotógrafo vai ao extremo com relação ao direcionamento.
  • É uma distração, com relação à quarentena, de ter que ficar em casa muitas vezes fazendo nada.
  • Passar por uma experiência diferente (a primeira modelo tem mais de 15 anos de carreira como modelo e nunca tinha passado por esse tipo de ensaio).
  • Material para atualizar as redes sociais.

Negativos:

  • A qualidade da imagem ser baixa.
  • Não poder editar como normalmente se faz nas fotos feita com câmera profissional.
  • Não ter o total controle sobre a cena.
  • Não poder ajustar a câmera corretamente (exposição, ISO, etc)

Confira abaixo algumas fotos do Ensaio virtual do fotógrafo Vinicius Ishibashi com a modelo Mariana Menotti:

Veja o vídeo making of do WebEnsaio:

Veja algumas fotos do WebEnsaio da fotógrafa Isadora Crivelli com suas clientes:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.