Maternidade anima a vida de três facoppianas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

12/05/2019 às 06:00 – Atualizado em: 10/05/2019 às 19:08 
Larissa Oliveira

Agência Facopp

A palavra mãe é constituída apenas por três letras, mas tem um significado enorme. É aquela que tem um coração gigante e que, se pudesse, abraçaria o mundo inteiro pelo seu filho. É aquela que ama sem medidas, luta e vence todos os dias. Mãe é aquela que faz milhões de sacrifícios e ainda consegue ter tempo para aprender ainda mais.

Para celebrar o Dia das Mães, o Portal Facopp traz histórias de alunas que não dão a mínima atenção às barreiras quando se trata de conciliar faculdade e a maternidade.

OS DESAFIOS DA MATERNIDADE 

Ser mãe é um desafio enorme e que requer muitos cuidados. A estudante do 3º termo de Jornalismo, Noemi Prado, é mãe do Lucca Silva de 11 meses. Ela conta que aprendeu ser mãe desde quando seu filho ainda estava na barriga, já que teve uma gravidez de risco e o bebê poderia nascer prematuro.

“Minha história como mãe é complicada desde a barriga, mas, pela vida dele, eu faria tudo de novo. Ele nasceria prematuro mesmo com a Cerclagem [pequena intrvenção cirúrgica] feita, mas, com a graça de Deus, todo repouso, Lucca nasceu de 38 semanas e um dia”, conta Noemi.

Ao contrário de Noemi, a estudante de Fotografia Rafaela Nunes teve uma gestação bem tranquila do início até o nascimento da Ana Laura que atualmente está com três anos de idade. “A Laura sempre foi uma menina muito calma, dormia a noite toda, era o bebê dos sonhos. Hoje olho para ela tão linda, tão perfeita e fico admirando tamanha perfeição”, comenta Rafaela.

Outra mãe facoppiana é a estudante do 4º termo de Publicidade e Propaganda, Giovana Cellis, mãe do pequeno Lorenzo Augusto de cinco anos. Ela conta que engravidou aos 17 anos quando morava sozinha em São Paulo. “Eu acabei voltando para casa do meu pai em Presidente Bernardes, onde ele foi muito tranquilo, super me ajudou desde o começo, me aceitou, sempre me apoiou e me ajudou muito a cuidar do Lorenzo”, lembra Giovana.

MATERNIDADE X FACULDADE 

A tarefa não é fácil, mas existem maneiras de conciliar as duas coisas. Noemi conta que havia trancado o curso de Jornalismo assim que se casou, mas retornou a faculdade logo após o nascimento do Lucca.

“Depois de alguns dias, frequentando a faculdade, deixando ele para o meu esposo, eu percebi que não era tão difícil, porque estava fazendo bem até pra mim. Eu voltei para faculdade, ele não tinha nem três meses de idade. Hoje, ele tem 11 meses, super fortão, super arteiro e eu já estou terminando o segundo ano de Jornalismo.”

Ela ainda conta para conciliar a vida de mãe e de universitária é necessário ter alguns esforços. “Você precisa ser ágil, esforçada, seja mulher. Acho que é a palavra mais forte: o ser mulher. Eu sei o quanto eles precisam da gente e o quanto queremos melhorar por eles, então a gente aprende na marra”, diz Noemi.

Já Rafaela ressalta que conciliar as duas coisas não é muito complicado, já que, quando precisa, sempre há pessoas para ajudá-la, principalmente para ela ir à faculdade. “A única coisa que é complicado mesmo é ter que ficar longe dela por algumas horas, mas minha mãe ou a avó paterna dela sempre estão presentes me ajudando e me apoiando”.

No caso de Giovana, o pequeno Lorenzo está passando pelo processo de alfabetização e que exige mais atenção. Ela relata que está sendo uma tarefa difícil, já que precisa, além de dar atenção aos estudos do filho, também cuidar do seu aprendizado. 

“Às vezes há eventos na escola dele que normalmente bate com a hora da faculdade. Uma vez eu estava em semana de prova e foi a formatura do pré para o primeiro ano, eu só consegui assistir a colação de grau dele e fui para a faculdade correndo fazer prova. Perdi praticamente toda a formatura do meu filho, acho que essa foi a parte mais difícil da faculdade”, lembra Giovana.

SER MÃE

Para Noemi ser mãe não é fácil e mesmo com a exaustão esse momento é único. “A maternidade é complexa, mas ao mesmo tempo é maravilhosa, então ser mãe é difícil, agora ser universitária e ter mais responsabilidades, é três vezes pior”.

Ela ainda lembra que recebeu comentários sobre estar em uma universidade e ter um filho para cuidar. “Eu recebi várias críticas que não me afetaram em nada. Hoje, eu sou mãe, sou universitária, penso em fazer um estágio para ter experiência dentro da área para conseguir mais independência financeira para dar uma pouco mais de coisas ao meu filho. O ser mãe universitária é difícil, mas vale a pena, tudo vale a pena”. finaliza Noemi.  

Já Rafaela, conta que por muitos momentos pensou em desistir mesmo com todo apoio. “Por mais difícil que seja, nunca desistam, pensem sempre no futuro, naquilo que você quer alcançar. Lembre-se sempre do seu filho, pense em um futuro melhor para ele. Tenho certeza que não tem inspiração melhor para sempre seguir em frente e nunca desistir”, conclui.

Assim como Rafaela, Giovana conta que por muitas vezes pensou em desistir, mas o amor pelo sonho da graduação e ter a certeza que dará um futuro melhor para seu filho compensa tudo. “Nosso futuro só depende da gente, então eu preciso proporcionar um futuro melhor para o Lorenzo. É nessa hora que nós mães precisamos ser fortes”, ressalta Giovana.

Portal Facopp deseja um feliz Dia das Mães cheio de amor para todas as mamães. Espalhem amor e gratidão, galera!       

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.