Programas de entrevistas discutem sexualidade

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

29/11/2017 às 10:10 – Atualizado em: 29/11/2017 às 10:58 
Ana Caroline Soares

Carlos Shirosawa

O programa de entrevistas contará com oito edições sobre a temática da sexualidade

Os estudantes do 6° termo de Jornalismo estão realizando o Programa de Entrevistas, projeto semanal realizado na disciplina de Telejornalismo III, ministrada pela professora Thaisa Bacco.  Com o nome XY, o programa tem duração de 20 minutos e o tema central é Sexualidade. Neste semestre, contará com oito edições, tendo quatro disponíveis até o momento.
 
A turma foi dividida em dois grupos, cada equipe é responsável por criar quatro edições no programa ao longo do bimestre. A última edição foi gravada na última quinta-feira (23/11).
 
“Os alunos fazem todas as partes, pesquisa, pauta, edição e eles tem uma semana para elaborar”, explica a orientadora do projeto Thaísa Bacco. A docente ainda diz que o feedback é muito positivo, já que os vídeos contam com muitas pessoas assistindo e comentando os assuntos tratados.

Experiências
 
Lilian da Silva, que atuou como editora chefe da 4° edição, com a temática Sexualidade e Religião, conta que é importante colocar em prática o que estão aprendendo.“É uma fase do inferno ao céu. Você tem uma carga pesada, correria, pressão, mas vale a pena o momento que você vê que o programa rodou, a entrevista saiu boa. Sem contar todo o aprendizado”, diz.
 
A discente Amanda Albuquerque, que foi produtora da 8ª edição: Identidade de Gênero, diz que o programa de entrevistas exige um aprofundamento muito maior sobre o tema do que o telejornal que já produziram. “Espero que o programa cumpra o papel de informação e reflexão e que seja desenvolvido da maneira que planejamos, ou seja, buscar tratar o tema de maneira respeitosa e o mais informativa possível dentro do tempo exigido”, declara.
 
Na 8ª edição, foram trabalhados três VTs, sendo um depoimento de uma drag queen, um com três personagens transexuais e o outro com a fala de uma psicóloga, com dados sobre o alto número de mortes de transexuais e travestis no Brasil.
 
O acadêmico Vinícius Gabriel dos Santos, cinegrafista na 6ª edição Saúde do homem,ressalta que é muito gratificante ter a atividade para sua formação acadêmica. “Toda a sala se propôs a realizar e cada um se comprometeu a dar o seu melhor. Então espero que no término do programa após a última gravação o resultado seja muito satisfatório”.
  
Júlio César Terrengui Medeiros atuou como diretor de TV e repórter na 2ª edição, do programa Relação que existe entre gêneros e brinquedosO aluno conta que era tímido no início e tinha medo de se apresentar. Mas no decorrer do tempo foi percebendo que tem várias funções por trás das câmeras e assim foi se soltando.
 
“É uma oportunidade incrível que temos aqui na Facopp. Em qual outro lugar tem a mesma oportunidade que nós temos? De pegar câmeras para gravar na rua e editar na ilha de edição? De ter um estúdio dentro da faculdade e colocar um programa no ar?”, questiona o acadêmico.
 
Júlio ainda comenta das dificuldades que enfrentaram, para o estudante nem tudo foi um “mar de rosas”, como algumas complicações com fontes. “Valeu a experiência! Temos que estar prontos e preparados para qualquer tipo de imprevisto, precisamos matar um leão por dia nessa profissão e para continuar nela tem que ter muito amor e dedicação, porque não é nada fácil”.
 
Gostou? Então fiquei ligado nas próximas edições do programa XY, que você acompanha no canal da TV Facopp!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.