Quarentena populariza transmissões ao vivo e as torna superproduções

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

18/05/2020 às 09:30
João Lucas Fogueiral e Victória Domingos

Live sertaneja que Jocelio produziu com seu irmão, gravada pelo celular e transmitida pelo Instagram, onde é possível receber comentários e reações durante a transmissão (Foto: Cedida/ Arquivo pessoal)

Ficando em casa, por conta da pandemia da covid-19, as opções de lazer e entretenimento se reduziram ao que pode ser feito a distância, somente com as pessoas que dividem o mesmo teto. Para matar um pouco a saudade dos shows, que já fazem parte da rotina do jovem prudentino, os artistas da região estão produzindo lives.

As transmissões ao vivo sempre fizeram sucesso desde a televisão analógica, na TV digital ela ganhou mais possibilidades, mas foi na internet que esse tipo de transmissão ganhou destaque e inovações, como por exemplo a opção de ter comentários simultâneos do internauta, que pode ser lido instantaneamente.

O segredo da audiência está justamente na acessibilidade, pois a internet atualmente tem uso facilitado e as plataformas em que as lives são transmitidas  já são utilizadas pela maioria do público.

Jocelio Ferreira tem uma dupla sertaneja com seu irmão, Jean Ferreira, e durante a quarentena já fez três lives pelo Instagram. Ele ressalta que outro aspecto muito importante é a produção. “O principal é a imagem e um bom áudio chegando até quem assiste”. Vendo pelo ponto de vista audiovisual, é necessário ter uma preocupação com a qualidade técnica da transmissão, a melhoria da velocidade da internet já tem ajudado muito nisso.

Para a professora Thaisa Bacco, que dá aula de telejornalismo na Facopp, a produção é muito importante e pode trazer muitos benefícios. “O domínio da linguagem de vídeo permite maior retenção do público, pois seus elementos arranjados intencionalmente favorecem a compreensão e o interesse”.

Jocelio viu isso na prática e afirma que uma transmissão bem produzida e divulgada faz total diferença. “Comparando as duas primeiras lives, que fizemos sem nenhuma produção praticamente, tivemos muito menos resultados que a última, na qual fizemos uma superprodução.”

A diferença também é nítida para quem está do outro lado. Isabela Souza está no 7º termo de Jornalismo tem acompanhado várias transmissões, alguns de bate-papo com conteúdos legais, notícias e também muitas lives musicais. Ela  compara as transmissões ao vivo com os próprios shows. “É como se nós estivéssemos em um camarote, então a qualidade tem que ser boa se não vamos embora”.

Isabela ainda comenta que o mais importante é o conteúdo. “A maioria das lives que tenho assistido tem uma produção legal e contribui para que possa ser algo inesquecível”.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.