Quaresma provoca mudança de hábitos no cardápio de alunos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

22/02/2018 às 09:49 – Atualizado em: 22/02/2018 às 21:05 
Beatriz Duarte, Maria Eduarda Kato, Isabela Sanchez, Mariana, Yuri Aquinno e Nayane de Castro Faria

Isabela Sanches


Você sabe o que significa a Quaresma? Para os fiéis católicos, os 40 dias de penitência é um momento de voltar-se com a devoção para o evangelho de Jesus. Neste período, os seguidores do catolicismo deixam de fazer uso da carne vermelha, e escolhem alguma meta ou vício que desejam abdicar-se. O Portal Facopp buscou os alunos pelos corredores para saber qual a influência da quaresma no seu dia a dia.
 
Para a estudante do 2º termo de Publicidade e Propaganda, Amanda Rodrigues, a prática da quaresma é um assunto de família. “Praticamos a quaresma desde pequeno, nesta época não comemos carne vermelha, mas apesar de tudo é um período comum para mim, a diferença está na remissão de pecados”.
 
Já Claudinei Carlos da Silva, graduando do 2º termo de Ciências Contábeis, não é adepto e nem pratica os costumes de nenhuma religião especifica. “Não pratico a quaresma porque acho que devemos ter empatia por todo o ano e não somente por 40 dias.”
 
A história de vida da aluna do 3º termo de Jornalismo, Camila Maria Perez, 18 anos, ganhou um novo recomeço na adolescência. Nascida e criada em uma família católica, ela conta que é praticante do hábito desde sempre. “Não só dentro de casa, mas também estou presente nas aulas de catequese onde aprendi muito sobre os valores que esses 40 dias deixa na vida de quem prática. Neste ano estou tentando abdicar-me dos palavrões”, ressalta.
 
Impacto nas vendas
 
Com a abstinência de carne durante os 40 dias, os alunos procuram por outras opções de alimentação.  Presente no Campus II, da Unoeste, a TeBike oferece um cardápio variado de temakis, alimento que tem como ingrediente principal, o peixe.
 
De acordo com o funcionário Robert Pereira Evangelista, o foodtruck foi inaugurado há quase dois anos e fornece para os clientes, nove opções diferentes. Entre elas, salmão, camarão, kani, skin. Os valores vão de R$ 10 a R$ 20. “Nos melhores dias, chegamos a vender 70 temakis por noite, e nos dias mais fracos chega a 33 por item”, comenta.
 
Já a proprietária do Café Terraço, localizado no piso 4, bloco B3, Telma Taiar Tacaci, conta que tem observado uma diminuição de pedidos de alimentos sem carne em relação ao mesmo período do ano passado. “Teve ano que as pessoas pediam mais. Esse ano elas não estão seguindo muito”, observa.
 
Mas, para quem segue firme com a quaresma, a comerciante comenta que opções sem carne para saborear é o que não faltam. Segundo ela tem, a cantina oferece salgados de quatro queijos, escarola com queijo, pão de queijo, brócolis com queijo e muitos lanches naturais. 


Você sabe o que significa a Quaresma? Para os fiéis católicos, os 40 dias de penitência é um momento de voltar-se com a devoção para o evangelho de Jesus. Neste período, os seguidores do catolicismo deixam de fazer uso da carne vermelha, e escolhem alguma meta ou vício que desejam abdicar-se. O Portal Facopp buscou os alunos pelos corredores para saber qual a influência da quaresma no seu dia a dia.
 
Para a estudante do 2º termo de Publicidade e Propaganda, Amanda Rodrigues, a prática da quaresma é um assunto de família. “Praticamos a quaresma desde pequeno, nesta época não comemos carne vermelha, mas apesar de tudo é um período comum para mim, a diferença está na remissão de pecados”.
 
Já Claudinei Carlos da Silva, graduando do 2º termo de Ciências Contábeis, não é adepto e nem pratica os costumes de nenhuma religião especifica. “Não pratico a quaresma porque acho que devemos ter empatia por todo o ano e não somente por 40 dias.”
 
A história de vida da aluna do 3º termo de Jornalismo, Camila Maria Perez, 18 anos, ganhou um novo recomeço na adolescência. Nascida e criada em uma família católica, ela conta que é praticante do hábito desde sempre. “Não só dentro de casa, mas também estou presente nas aulas de catequese onde aprendi muito sobre os valores que esses 40 dias deixa na vida de quem prática. Neste ano estou tentando abdicar-me dos palavrões”, ressalta.
 
Impacto nas vendas
 
Com a abstinência de carne durante os 40 dias, os alunos procuram por outras opções de alimentação.  Presente no Campus II, da Unoeste, a TeBike oferece um cardápio variado de temakis, alimento que tem como ingrediente principal, o peixe.
 
De acordo com o funcionário Robert Pereira Evangelista, o foodtruck foi inaugurado há quase dois anos e fornece para os clientes, nove opções diferentes. Entre elas, salmão, camarão, kani, skin. Os valores vão de R$ 10 a R$ 20. “Nos melhores dias, chegamos a vender 70 temakis por noite, e nos dias mais fracos chega a 33 por item”, comenta.
 
Já a proprietária do Café Terraço, localizado no piso 4, bloco B3, Telma Taiar Tacaci, conta que tem observado uma diminuição de pedidos de alimentos sem carne em relação ao mesmo período do ano passado. “Teve ano que as pessoas pediam mais. Esse ano elas não estão seguindo muito”, observa.
 
Mas, para quem segue firme com a quaresma, a comerciante comenta que opções sem carne para saborear é o que não faltam. Segundo ela tem, a cantina oferece salgados de quatro queijos, escarola com queijo, pão de queijo, brócolis com queijo e muitos lanches naturais. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.