Reportagem resgata história do Estádio Prudentão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

13/12/2019 às 19:44
Daniel Alvarez e Junior Lessa

Para a produção do trabalho foram entrevistados 24 fontes, dentre esses o atual prefeito de Presidente Prudente, ex-prefeitos e secretários do município (Foto: Okubo)

Como forma de entender o que levou o abandono do Estádio Prudentão, os graduandos Adriano Batista da Silva, Cleide Regina dos Santos Custódio, Julhia Marqueti Pereira e Thais Vizari Francisco, sob orientação do professor Homero Ferreira, produziram o trabalho “Estádio Prudentão: de palco de memoráveis acontecimentos à condição deplorável de elefante branco”.

Para execução do trabalho, foi necessário primeiramente por parte dos formandos o entendimento do jornalismo online, assim como suas ferramentas. Para isso, eles estudaram as possibilidades que a reportagem multimídia os oferece e como poderiam aproveitar de melhor maneira cada uma delas.

Foi feito também um estudo das fases da web, que com o passar de cada uma adquiria uma nova função. Thais explica que a escolha da reportagem multimídia se deve as possibilidades que ela oferece. “Pudemos trabalhar principalmente com o webwriting, a navegabilidade e a visibilidade, por meio do planejamento de alcance”, explica a estudante.

Concluída toda a base teórica, chegou a hora do grupo aplicar a prática. Para isso, com 37 anos de estádio, os estudantes se utilizaram de pesquisas, coleta de dados, análise documental e entrevista semiestruturada. No total, 24 fontes foram entrevistadas, o que resultou em 8h de material.  O trabalho final gerou quatro vídeos, 53 fotografias, nove artes e cinco áudios.

O ESTÁDIO

O objeto de estudo do grupo passou por diversas fases desde sua inauguração. Julhia conta que em sua época de ouro, o estádio recebeu 45 jogos de nível nacional. “Nesses jogos aconteceram inclusive o 100º gol de Neymar pelo Santos e o gol do Fenômeno ao voltar a jogar profissionalmente pelo Corinthians”.

Para retratar tudo isso de uma forma que ficasse mais clara para o público, os graduandos escolheram dividir a peça prática em quatro capítulos. O primeiro conta como tudo começou, desde a inauguração; o segundo é dedicado a era de ouro do estádio; o terceiro ao declínio e abandono; e o quarto para expectativas, projeções futuras e sugestões.

Mas para qual público-alvo o grupo desenvolveu a reportagem? Se você pensa que foi apenas para os prudentinos fãs de esporte, se engana. Isso porque o Estádio Prudentão, como já citado, foi palco de acontecimentos importantes, o que faz com que não só os prudentinos se interessem em conhecer a história e trajetória do mesmo.

FEEDBACK DA BANCA

A banca, composta pelos professores Luiz Dale Vedove e Thaisa Sallum Bacco, levantou questionamentos principalmente sobre a forma de divulgação do trabalho e o atrelamento entre o jornalismo esportivo e investigativo.

Sobre a divulgação, os formandos prontamente responderam que ela foi feita por meio de uma parceria com o Portal Prudentino, no qual fizeram uma matéria especial para o site. Nela, os estudantes convidam os leitores para acompanhar a reportagem multimídia, que foi postada na plataforma wix. Além disso, Adriano conta que os próprios integrantes divulgaram em suas redes sociais pessoais, como no Instagram, Facebook e Whatsapp.

Já sobre o jornalismo esportivo em conjunto com o investigativo, Julhia conta que é importante, já que a mídia local geralmente não dá visibilidade para esse tipo de conteúdo. “O jornalismo esportivo de Presidente Prudente foca muito nos pontos positivos”, pontua.

Questões supridas, sob muitos elogios os mais novos jornalistas foram anunciados, isso porque o trabalho foi aprovado. Thais conta que a aprovação foi como tirar um peso das costas, mas revela a preocupação com o futuro. “Ao mesmo tempo em que a gente fica muito feliz, tem também muita expectativa sobre o que pode acontecer de agora em diante”.

Para o orientador, Homero Ferreira, o trabalho desenvolvido pelos formandos põe o Estádio Prudentão também como pauta a ser abordada nas campanhas das eleições de 2020. Para ele, o sentimento que fica com a aprovação do grupo de orientandos é de orgulho e de satisfação profissional, devido ao zelo e dedicação que eles tiveram com a profissão jornalista.

Presente na plateia, a mãe de Julhia, Silvana Marqueti Oliveira, 52, foi acompanhar a apresentação da filha. Emocionada, ela revela a alegria “Estou muito feliz, pois eu sinto que ela está feliz e realizada, espero que ela continue voando naquilo que ela gosta”.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.