Sétima edição do Projeto Vira Galo é apresentada de forma remota

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

23/06/2020 às 08:00
Daniel Alvarez

Apresentação foi mediada pelas professoras Mariangela Fazano e Fernanda Sutkus (Foto: Captura de Tela/ Youtube)

Tradicional na matriz curricular do curso de Publicidade e Propaganda, o Projeto Vira Galo é um trabalho de extensão que propõe aos alunos do 7º termo uma vivência prática da profissão atendendo clientes do terceiro setor. Nesse semestre a entidade atendida foi a Fundação Mirim, que recebeu dos discentes soluções para problemas nos setores de comunicação interna, externa e comercial.

Em virtude da pandemia do coronavírus, a apresentação das propostas de comunicação desenvolvidas pelos estudantes foi realizada pela primeira vez de forma remota, na última sexta-feira (19/06). Seguindo todas as recomendações de distanciamento social e higiene propostas pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a defesa aconteceu no estúdio do laboratório de TV da Facopp e foi transmitida por meio de uma live no canal TV Facopp Online.

Antes de iniciar a apresentação, as docentes e condutoras do projeto, Mariangela Fazano e Fernanda Sutkus, introduziram o Vira Galo e relembraram edições anteriores do projeto. “O Projeto Vira Galo foi pensado para trabalhar a autonomia dos alunos, para os levar ao mercado de trabalho e fazer com que resolvam problemas de comunicação”, pontua Fernanda.

Apesar da apresentação de forma remota, Mariangela conta que no início do projeto as aulas ainda estavam acontecendo presencialmente, portanto os alunos conseguiram participar do processo de imersão e detectar os problemas da entidade. “Nós fizemos essa imersão, a divisão dos grupos e a detecção dos problemas apontados na imersão, logo depois entramos no período remoto.”

APRESENTAÇÃO

A apresentação da sétima edição do Projeto Vira Galo ficou sob a responsabilidade de Talita Soares, Vitor Gardenal e Amanda Nunes, cada qual representando seu grupo, respectivamente nos setores de comunicação interna, comercial e comunicação externa. Na plateia virtual, simbolizada pelo espaço de chat da live, estavam presentes professores, alunos, ex-alunos, familiares, amigos e colaboradores da Fundação Mirim.

Para abrir as apresentações, Talita expôs as ideias levantadas por seu grupo para a melhoria na comunicação interna da entidade. Foi por meio de pesquisas com os discentes da Fundação Mirim que o grupo levantou os três principais problemas: não pertencimento dos alunos, falha na comunicação com o código restrito e dificuldade na comunicação com os pais dos alunos.

No ponto de não pertencimento dos alunos, os graduandos sugeriram uma repaginação na identidade visual da entidade, assim como em alguns espaços físicos internos. Já na temática de comunicação com o código restrito e pais dos mirins, as propostas abordaram a criação de folders explicativos e calendários com datas importantes da Fundação Mirim.

Além das ações de caráter físico, foram pensadas também ações virtuais, para serem disseminadas nas redes sociais. “A gente pensou em uma ação para os mirins se sentirem pertencidos e participarem bastante. É a semana #euamoaFundação, basicamente ela funciona por meio de participação em enquetes e postagem de fotos no Instagram. Quanto mais participações mais pontos eles ganham e ao final essa pontuação se converte em uma premiação”, explica Talita.

Para dar continuidade a apresentação, Vitor Gardenal apresentou os problemas e propostas para o setor comercial. Nesse, o principal contratempo consiste na dificuldade em trazer novas empresas parceiras para a Fundação Mirim.

Como forma de resolução, os graduandos do grupo apresentaram a Mirimcon (Conferência de Negócios da Fundação Mirim), evento no qual seriam feitas apresentações e palestras sobre a entidade para representantes de empresas do mercado regional. “O projeto em si é que a Fundação Mirim seja frequentada não só por jovens mirins, mas também seja cedida para que lá ocorram palestras e eventos”, conclui Vitor.

Por fim, Amanda Nunes apresentou soluções para os problemas de comunicação externa, esses baseados em uma pesquisa online realizada com a população de Presidente Prudente. Os principais aspectos trazidos pela pesquisa foram com relação à falta de confiança, falta de reconhecimento do trabalho e confusão sobre as atividades realizadas pela Fundação.

Por se tratar de uma entidade que está há 60 anos em Presidente Prudente, o grupo de graduandos responsável por esse setor trabalharam focados nisso. “Optamos por uma campanha institucional para mostrar o valor que a Fundação Mirim tem no município”, defende Amanda.

MISSÃO CUMPRIDA

Vitor afirma estar feliz com o trabalho entregue pela sala e sente ter oferecido algo que pode ser aplicado na prática pela entidade. “A somatória dos grupos entregou um trabalho palpável, o que é muito importante. Não adianta propormos soluções que não cabem no orçamento do cliente em questão.”

Vivian Maldonato, analista de marketing da Fundação Mirim e responsável pela mediação entre a Facopp e a entidade, também enxerga o conteúdo apresentado pelos alunos como possível de ser aplicado e diz estar esperando o volume teórico para apresentar as propostas à diretoria.

Perdeu a transmissão do Projeto Vira Galo? Não se preocupe, a apresentação está disponível no canal da TV Facopp Online ou pode ser assistida no vídeo abaixo, aqui no Portal Facopp.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.