Novo contexto digital afeta saúde dos olhos e bem-estar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

04/06/21 às 16h47
Leonardo Bosisio e Nathalia Salvato, especial para Escola de Comunicação

Lívia diz que sua visão “mudou completamente” com as atividades remotas (Foto: Cedida/Lívia Garrido)

A pandemia da Covid-19 e o isolamento social transformou a rotina de milhões de pessoas ao redor do mundo. Foi preciso se adaptar ao home office, às aulas remotas e aos conflitos de um novo contexto digital.

Com a longa exposição às telas do computador e do celular, é possível prever indícios negativos na saúde da população, principalmente na dos olhos, interferindo diretamente na qualidade de vida dos estudantes e assalariados.

Aluna do 3º termo de Publicidade e Propaganda da Unoeste, Isabela Sayuri, usa óculos desde 2017 e conta que durante a pandemia, com as aulas remotas, percebeu sintomas incomuns e, em um curto período de tempo, o grau de seus óculos aumentou. “Minha visão se cansava mais rápido, me dava mais dor de cabeça por ficar muito tempo na frente do computador. O grau de miopia aumentou e acredito que o EAD contribuiu bastante pra acelerar esse aumento”, comenta.

Lívia Garrido Pichioni, também estudante do 5º termo de Publicidade, trabalha em home office e assiste aulas no formato remoto. Ela destaca que sua visão mudou completamente com essa nova realidade. “Além do aumento no grau dos meus óculos, de 3° de miopia em cada olho para 3,75° em um e 4,75° no outro, adquiri também o astigmatismo. Meu oftalmo até ficou surpreso, pois fazia tempo que não aumentava nada.”

O oftalmologista Cláudio Vieira confirma que o número de pacientes com queixas aumentou bastante no atual período e explica que quanto mais tempo as pessoas ficam expostas às telas, mais os olhos tendem a secar. “Como as pessoas quase dobraram o tempo expostas ao computador, ao celular e, às vezes, ao ar condicionado ou ao ventilador, isso faz com que os olhos sequem mais, tendo também uma ardência maior, coceira, lacrimejamento e incômodo. Toda essa junção de coisas leva à irritação.”

“[A saúde ocular] Afeta totalmente a qualidade de vida. Os pacientes começam a ter dor de cabeça, irritação nos olhos, passam a ter um incômodo que não tinham antes”, afirma o oftalmologista.

Cláudio afirma que, algumas vezes, os pacientes não precisam alterar o grau dos óculos, mas a exposição excessiva e o tempo contínuo nesses aparelhos, provoca um cansaço maior. “Ultimamente temos os grupos de pessoas que o grau começou a aumentar, pacientes que não usavam óculos e começaram a usar, e pessoas que usam os óculos e ainda sim relatam cansaço”, discorre.

Cuidado com os olhos

O oftalmologista ainda destaca algumas orientações para o pessoal que tem se visto nesse contexto: “Tentem reduzir o número de horas nesses aparelhos. A cada quinze, vinte minutos, pare um pouco e olhe para outro ambiente, feche os olhos, cubra com as mãos e aguente trinta segundos para relaxar a íris e descansar os olhos. Lave o rosto e os olhos. Não fique tão próximo às telas. Qualquer dúvida, procure um profissional.”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.