Publicidade e Propaganda inova na produção de trabalhos de conclusão de curso

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

12/12/2018 às 16:53 – Atualizado em: 23/01/2019 às 08:28 
Heloisa Lupatini e Larissa Biassoti

Agência Facopp

Os cursos de Comunicação Social da Unoeste sempre passam por mudanças, com intuito de trazer melhorias aos futuros profissionais das áreas. Dessa forma, a coordenação junto ao corpo docente de Publicidade e Propaganda apresentou o ExPP Facopp (Exposição de Trabalhos de Conclusão de Curso de Publicidade e Propaganda), que tem como lema evoluir é natural.
 
Atentos às transformações do mercado publicitário, bem como as necessidades individuais dos alunos, o curso decidiu que os TCCs devem ser baseados nas vivências acadêmicas, mercadológicas, tecnológicas e experimentais dos estudantes, de modo que foi necessário abrir novas possibilidades para executar as produções.

O supervisor do ExPP Matheus Monteiro fala que ao todo há sete maneiras de desenvolver os projetos, em que os discentes podem optar por startup no mercado de comunicação, produção audiovisual com fins mercadológicos, portfólio de criação publicitária, estudo de casos de marcas, planejamento de comunicação institucional e mercadológica, planejamento de marketing digital ou estudos científicos na área da comunicação mercadológica e produção de sentido publicitário.
 
“O PEPP foi um modelo usado na universidade por muito tempo e que deu certo, os alunos criavam uma agência de publicidade e tentavam resolver os problemas de um cliente regional no prazo de um ano, mas a comunicação evoluiu em todas as áreas e nós precisamos acompanhar. A Facopp mapeou tendências e se adaptou para diversos formatos, hoje estamos baseados nas expertises de cada aluno”, fala Matheus.
 
Para chegar ao resultado final, a coordenadora de Publicidade e Propaganda Larissa Crepaldi lembra que foram dois anos de estudo. “Nós sentimos que era muito imposto para o aluno que ele tinha que fazer o projeto experimental, só que aos poucos percebemos que nem sempre era a aptidão dele, fora que os projetos se repetiam, não tinham mais uma característica de criatividade, ninguém buscava mais soluções alternativas”.
 
Larissa ainda afirma que a intenção da mudança é explorar as habilidades dos futuros publicitários, já que poderão direcionar os trabalhos para o que desejam exercer na prática da profissão fora dos corredores da Facopp, além de promover o aperfeiçoamento com o formato escolhido.
 
 
ALTERAÇÕES 
 
O processo de avaliação dos estudantes também passou por modificações. No PEPP sete professores orientavam os trabalhos, agora a banca de qualificação do ExPP é composta pelo docente orientador e/ou coorientador, mais a presença de um professor convidado da Facopp.
 
“A gente também inovou nas orientações, porque vimos que a comunicação mercadológica institucional tem grandes temáticas, então nós pegamos esses assuntos e dividimos em três linhas de pesquisas: produção de sentido, processos e práticas, e tecnologia e inovação na comunicação”, explica Matheus. O docente ainda comenta que os professores serão direcionados aos trabalhos de acordo com a naturalidade e conhecimento específico que possuem sobre as áreas.
 
Já na apresentação final, a coordenadora do curso Larissa Crepaldi conta que agora não haverá apontamentos técnicos sobre os projetos, pois os estudantes recebem as correções durante a banca de qualificação. “A gente decidiu que o ExPP seria uma apresentação para família, para os amigos e também para os profissionais do mercado de trabalho para criarmos essa rede de contato desde a faculdade”, afirma.  
 
Larissa afirma que após as exposições os alunos não precisam entregar como era feito anteriormente o trabalho em capa dura, já que agora os projetos serão disponibilizados em repositório digital para que todos tenham acesso.


ENVOLVIDOS 

Gabriel Fernandes está no 6º termo do curso e a mudança o deixou mais seguro, já que vai trabalhar com a área que possui afinidade. “Eu e mais meus colegas de sala escolhemos trabalhar com a produção audiovisual, vamos produzir um storytelling para alguma empresa, porque com a imagem é possível enxergar os resultados de um jeito mais fácil”, declara.
 
O estudante ainda comenta que a publicidade não segue mais o formato de agência padrão que o PEPP cobrava e que agora o aluno pode pensar fora da caixa. “Se antes você só podia atender uma empresa, agora você pode criar a sua no formato Startup. E essa é apenas uma das oportunidades que os formatos oferecem”. 

Já para a publicitária recém-formada Rayana Cabrera, o resultado foi um material que a representou profissionalmente. “Eu pude trabalhar na minha área de atuação que é a criação, em que produzi um portfólio para a Inprudente Cervejaria e isso me fez crescer muito com relação à arte gráfica, sem contar que é uma grande chance de eu mostrar meu trabalho.”

No projeto, a Rayana e sua colega de trabalho Isabela Voss fizeram a reestruturação da comunicação para o cliente, sendo necessário modificar layout, estilo de arte e conceito. “A gente foi bem livre para criar, então eu pude colocar em prática tudo o que eu aprendi”, conta.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Portal FACOPP | Faculdade de Comunicação Social "Jornalista Roberto Marinho" de Presidente Prudente | © 2019 Todos os direitos reservados.